eternamente verde

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Bom dia aos meus amigos. Faz tempo que não posto comentários a respeito de política. Não que tenha desgostado, nem que tenho deixado de lado esse meu lado crítico! Mais pelo desgosto das pessoas por tal prática, pois tenho visto dezenas, ou centenas de comentários em meu mural no facebook a respeito de tudo, menos política, com raras, excelentes e honrosas exceções. Mas, hoje, ao abrir meu inseparável e companheiro “jornal” matutino, não agüentei ao ler a notícia: “GOVERNO E OPOSIÇÃO FECHAM ACORDO QUE ESVAZIA CPI”. Folha, 17.05.2012. No corpo da notícia o seguinte comentário: “Governo e oposição fizeram acordo para não investigar governadores, parlamentares e o comando da Delta na CPI do Cachoeira. O foco será reduzido a personagens secundários do grupo comandado por cachoeira. O acordo surgiu após PT e PMDB ameaçarem aprovar requerimento de quebra de sigilo telefônico do governador Marconi Perillo (PSDB-GO)”. Agora, o porquê de minha indignação meus caros amigos? Porque ontem, com grande alarde, e com direito a emoção e choro de nossa Presidente que, de forma republicana reuniu todos os ex-presidente pós ditadura, de Sarney à Lula, para a posse da Comissão da Verdade. Comissão esta que tem a dura missão de esclarecer os crimes contra os direitos humanos cometidos no período ditatorial sem revanchismos e ódio. Nada contra a instalação de tal comissão. Mas o que queremos saber, na verdade, são os crimes cometidos por agentes públicos atuais, das falcatruas cometidas nos bastidores dos gabinetes governamentais, das propinas cobradas por agentes gestores para realização de obras e serviços governamentais, dos desvios de verbas perpretados pelos mandatários eleitos por nós, reles eleitores e pagadores de impostos aviltantes. Essa é a verdade que atualmente nos interessa, senão nunca sairemos desta triste realidade de país terceiro-mundista e analfabetos funcionais, com uma economia como a 6ª mundial e um IDH em 84ª lugar, atrás de Argentina, Chile, Uruguai Cuba, etc.

2 comentários: