eternamente verde

quinta-feira, 8 de março de 2012

A QUESTÃO DA VIOLÊNCIA PASSA LONGES DAS LUTAS DE MMA

O deputado federal José Mentor, (PT/SP), em artigo publicado na folha de São Paulo (Tendências/Debates de 05/03) propôs a proibição do MMA na televisão por achar, ele, que a exibição de lutas desse tipo irá estimular a violência na sociedade.
Ouso discordar do deputado. Sou do tempo em que meu pai e os amigos se reuniam às noites de sexta-feira, em frente ao televisor (preto e branco) para assistirem e vibrarem com as lutas livres, com contendores memoráveis e inesquecíveis como: Ted Boy Marino, Aquiles, Fantomas, Nino Mercury, dentre outros.
Isso para não falar das grandes lutas de boxe protagonizadas pelo lendário Muhammad Ali.
Nem eu, nem meus amigos que acompanhavam ao fundo as memoráveis contendas, crescemos mais ou menos violentos. Passamos a vida inteira assistindo Bang Bang, Rock (o lutador), maquina mortífera e tantos filmes violentos e continuamos vivendo, trabalhando e nos divertindo com bons e maus filmes, boas ou más lutas.
A questão da violência tem outros fatores que passam longe das lutas de MMA

2 comentários:

  1. Violência é falta de caráter.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Usama, o Urbanascidades convida voce e seus leitores para o seu 2° aniversário dia 21 de março. Sarau cultural com música, literatura e poesia, e convidados muito especiais. Não perca!
    Um abraço,
    Paulo Bettanin

    ResponderExcluir